Opala Clube

Não entendo nada de carro! Até para dirigir sou ruim. Nunca tive essa competência. Apenas “me viro” – desde que não seja pra subir ladeira nem dar ré.

Fico impressionada com a pessoa que conhece marca, ano, modelo, se é 1.0, 1.5, 2.0 (vai saber o que é isso). E cor? Antigamente tinha vermelho rubro, azul cobalto, verde intenso – parecido com cor de esmalte de unha  – ainda tem?

Se eu já não sei nada de carro novo, imagina de carro antigo.

Entendo é de gente (fora os “vasos ruins” dessa vida, lógico, que esses nem a ciência explica) e andei conhecendo uma turma muito boa por aí…

Sabe aquele pessoal que, se olhar de relance, não tem nada em comum? Um é engenheiro, outro é shuhiman, um é novinho, outro é mais velho, um tem filho crescido, outro nem casou ainda. Gente comum e do bem. Gente com suas diferenças, mas com uma grande semelhança: a paixão por OPALAS. 

Como só vai ter um ou outro expert lendo isso vou ter que fazer uma “carrografia” do veículo. Graças à internet, posso dizer que o Opala foi fabricado pela General Motors de 1968 a 1992 e que foi o primeiro automóvel de passeio fabricado pela montadora no Brasil. Inspirado no alemão Opel e  no americano Impala, o nome Opala veio da junção de Opel+Impala. (Aha. Duvido que o pessoal do clube saiba disso!) Atualmente, ele é uma espécie de item de colecionador!

Pois esses caras, de quem eu estava falando aí em cima, desmontam e remontam seus carros. Passam horas com um paninho dando brilho neles antes de um encontro. Conversam a mesma coisa mais de mil vezes: o carburador sei lá o quê, o kit lanterna traseira tá caro, o Opala Comodoro isso, o Opala Diplomata aquilo. 

Eu só sei que, enquanto tem um monte de gente procurando confusão, tem aqueles que procuram – e promovem – bem-estar através de um hobby, numa comunidade onde toda a família (aí se incluem esposas, filhos e agregados) passa momentos de alegria, diversão e paz conjunta!

Sabe aquele pessoal que “quase não existe mais”? Pois eles persistem e estão curtindo carros que também “quase não existem mais” – que, como eles, são sinônimo do que há de melhor em todos os tempos – que tomara que nunca se acabe.

Rapaziada do Opala Clube Rio de Janeiro, sou fã de vocês! Parabéns pelos 50 anos desta joia!

Kátia Galvão em 50etcetera

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s