O Poder do Marketing Pessoal

Ainda ontem caí na maior treta. Bastou a postagem de uma rolha e uma frase em francês pra eu achar que o vinho que ele estava bebendo era chique e caro.

A molecagem foi desfeita quando me mostrou a realidade: bebida baratinha, na sala de casa mesmo. Muito boa essa, pois, além das gargalhadas, me deu inspiração para uma nova reflexão.

Quantas vezes se deparou com este tipo de cilada?

É suficiente uma fração da cena e um comentário bem bolado pra você pensar que está perdendo algo fantástico. E se for foto tirada em grande angular aí que valoriza qualquer pé sujo.

Seja como for, não vou me sentir culpada por estas impressões sozinha. Quero responsabilizar principalmente a enxurrada de imagens felizes e prósperas a que somos submetidos – e submetemos – diariamente. Quem tem a cabeça bacana vai, no máximo, rir de si próprio e torcer pela felicidade do outro. Mas quem vive de inveja alheia vai nutrir péssimos sentimentos: menos valia, dor de cotovelo, ganância, cobiça.

A mídia ajuda com seu poder incalculável, sutil ou descarado, de manipulação dos nossos objetos de desejo. E, se o camarada não for firme, pode destruir seus gostos, livre-arbítrio, capacidade de escolha. Apenas pela aspiração da grama mais verdinha do vizinho.

Se fosse só a lavagem cerebral dos meios de comunicação até daria para engolir. Afinal, todo mundo precisa vender seu produto, sua imagem. Marketing pessoal é positivo. O problema é sua má utilização para mascarar quem na verdade se é (por baixo de roupa de grife, de carinha meiga ou de discurso politizado). Atenção, incautos, nem tudo é o que parece ser!

Uma amiga já me alertou. Disse que eu acredito demais – nas pessoas e no que elas dizem. Não se trata de ingenuidade, expliquei, mas de confiança. Como uma espécie de crédito bancário. Primeiro eu deposito um montão na sua conta, depois vou sacando conforme a necessidade. De modo que, ou essa fé vai se esgotando, ou rendendo dividendos. Boa parte do povo que conheço faz o contrário. (Talvez esteja na hora de eu aceitar).

Tem me achado amarga ultimamente? Tsc, tsc, tsc. Estou ótima. Acontece que nunca estive com os olhos tão abertos. Daí a vontade de compartilhar.

Aprendizado número nove milhões (e crescendo): promoção pessoal é igual a maquiagem bem feita, pode tanto realçar seus pontos fortes quanto esconder suas piores características. Em outras palavras: se presta a aperfeiçoar o que é bom ou embelezar o que não vale nada!

Kátia Galvão em 50etcetera

6 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s